quinta-feira, 24 de julho de 2014

Documentário "Eu vos declaro"

O documentário "Eu vos declaro..." foi criado por Alberto Pereira Junior com direção de Alberto Pereira Jr. e realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura do mesmo estado, participou da 7ª Mostra de Cinema e Vídeo de Miracema, no Tocantins. Também esteve na 20ª edição do Festival Mix Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de competir no 6º For Rainbow, em Fortaleza, no Ceará.

No vídeos vemos a declaração de vários casais homossexuais, como eles se conheceram e suas experiências de vida como inseminação artificial e casamento. Um dos depoimentos é de um casal transexual, male to female e female to male, muito interessante para o conhecimento de todos os casais existentes no meio LGBT (Lesbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).
Abaixo assistam o documentário:
 
 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Próxima reunião do grupo 28 d ejunho




























Venha á reunião do grupo 28 de junho.

Data. dia 25 de julho - Sexta feira
Ás 19 horas.
Rua Pascoal Moreira 233
Na Quadra da escola de samba bandeirante.
Bairro bandeirante.
Ref
ônibus que vai de nova Iguaçu para Austin ou morro agudo
Descer em frente a danceteria gregos e troianos.

Fique atento!

ASSUNTO
1- 11 a Parada LGBT
2- 4ª Mostra de cinema LGBT de Nova Iguaçu
3- Diretoria do grupo 28 de junho
Dentre outros temas


Sua presença é muito importante!!

Contato
93628785 CLARO
988093507 OI
/98630-0431 OI

quinta-feira, 17 de julho de 2014

EUA: Pastor põe fogo em si mesmo para protestar contra a homofobia




B82802987Z.1_20140711182826_000+G1G2GB7ET.1-1_t670x470Texas – Em uma tarde de segunda-feira de junho passado, o Reverendo aposentado, Charles R. Moore, 79, viajou cerca de 70 Km de sua casa em Allen até Grand Saline, a cidade de sua infância, a leste de Dallas. Lá, em um estacionamento de um Shopping, ele ajoelhou-se, encharcou-se com gasolina e pôs fogo em si mesmo. Segundo o próprio pastor, a intenção do ato extremo, era protestar contra a recusa de sua igreja em realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo, o preconceito contra pessoas LGBTs e outras injustiças no mundo. Moore esperava que, com sua morte, poderia fazer alguma diferença.
Com as chamas consumindo seu corpo, Moore gritou e tentou se levantar. Chocados com a cena, algumas pessoas correram para tentar apagar o fogo usando garrafas d’água e um extintor, mas as queimaduras foram muito graves. O reverendo ainda chegou a ser levado com vida e inconsciente para um hospital em Dallas, mas não resistiu e morreu logo depois.
Consta que, durante o seu ministério, o Reverendo fazia sermões sobre o racismo e o sexismo. Fazia vigílias contra a pena de morte. Em 1995 ele chegou ao extremo de fazer uma greve de fome – que durou 15 dias – para protestar contra a discriminação contra gays e lésbicas. Ainda assim, Moore se questionava se estava fazendo o suficiente. Ele via um mundo destroçado ao seu redor.
O Reverendo pretendia fazer do seu ato um grande gesto altruísta, assim como os monges budistas, que se imolaram usando fogo para protestar contra o governo do Vietnã do Sul, durante a Guerra do Vietnã, ou monges tibetanos que fizeram o mesmo, mais recentemente, para protestar contra o governo de China.
Moore deixou uma série de bilhetes explicando seus motivos. Neles o Revendo citava a recusa de sua igreja em realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo, a discriminação contra as pessoas LGBTs, a pena de morte nos Estados Unidos, a crescente desigualdade econômica e os cortes nos programas sociais.
“Eu preferiria continuar a viver e desfrutar da companhia da minha amada esposa, netos e outros, mas eu acredito que só a minha auto imolação irá chamar a atenção de alguém e, talvez, inspirar alguns para um bem maior.”, escreveu Moore em um dos bilhetes.
Membros da família disseram que ele andava profundamente preocupado com essas questões, mas que não dava nenhuma indicação de que estava pensando em suicídio.
“Foi um choque total”, disse o amigo, reverendo Bill Renfro.
Moore deixa para trás uma esposa, filhos e netos. Além de uma carreira baseada no apoio aos mais oprimidos. Na década de 1950 e 1960, ele trabalhou em igrejas no subúrbio de San Antonio e depois em Cartago, no leste do Texas. Ele também teria passado anos trabalhando em favelas na Índia e em países em desenvolvimento na África e no Oriente Médio.
Obs.: Há, nas igrejas metodistas americanas, um movimento inclusivo crescente. Dissidentes querem ser autorizados a casar casais do mesmo sexo.
Fonte.http://nossostons.wordpress.com/ 

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Lei que proíbe nome social nas escolas é inconstitucional

Em sessão ordinária realizada na tarde desta quinta-feira, 10, o Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) declarou, à unanimidade de votos, a inconstitucionalidade da Lei Municipal de Vitória nº 8.457/13, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos de ensino, públicos e privados, de usar o nome civil nos registros dos documentos escolares.

A decisão foi proferida nos autos da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) nº 0022349-47.2013.8.08.0000, proposta pela Prefeitura de Vitória em face da Câmara de Vereadores do município, que criou a lei. Em suas alegações, a Prefeitura sustenta que não cabe à Câmara Municipal dispor sobre a formação e o planejamento da política educacional do município, e sim ao Conselho Municipal de Educação.

O relator da Adin, desembargador Carlos Simões Fonseca, cita em seu voto a Resolução nº 10/2011 do Conselho Municipal de Educação de Vitória (Comev), que dispõe sobre a inclusão e o uso do nome social de pessoas travestis e transexuais nos registros escolares internos das unidades escolares da rede de ensino de Vitória (diários de classe, listas de divulgação pública no interior e na parte externa das escolas, crachás e outros registros similares).

Para o relator, "ao criar lei que regulamenta questão envolvendo planejamento educacional, já regulamentada, anteriormente, pelo Poder Executivo, o Poder Legislativo local exerceu função atípica e imiscuiu-se em matéria afeta àquele Poder, usurpando de sua competência".
O relator ainda frisa que "impor aos travestis e aos transexuais somente o uso do nome civil no ambiente escolar, como pretendia o Poder Legislativo, demonstra intolerância à questão de gênero, à inclusão e à diversidade, o que implica em flagrante retrocesso social, em um momento em que se avança, largamente, na busca da concretização dos direitos humanos, notadamente na prevalência do princípio da dignidade da pessoa humana".

E continua em seu voto. "É imperioso ressaltar que estas pessoas lidam cotidianamente com preconceitos da sociedade, retratados nas brincadeiras inconvenientes, já que seu nome civil não reflete a identidade de seu gênero, o que, no âmbito da educação, acaba causando constrangimentos que culminam na evasão escolar", conclui, declarando a inconstitucionalidade da lei municipal. Em decisão unânime, o relator foi acompanhado pelos demais desembargadores do TJES.

Ressaltamos aqui que nome social é um direito de pessoas travestis e transexuais, elas tem direito e exigem serem respeitadas. O 28 de Junho não tolera transfobia.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Próxima reunião quinzenal do grupo 28 de junho

    


  


Venha  construir cidadania 
         abrir caminhos e  decidir rumos.


Data dia 11 de julho ( sexta feira) às 19:00

·    .

Rua Pascoal Moreira 233

Na Quadra da escola de samba bandeirante.
Bairro bandeirante.
Ref
ônibus que vai de nova Iguaçu para Austin ou morro agudo
Descer em frente a danceteria gregos e troianos.

Fique atento!

ASSUNTO
1- 11 a Parada LGBT
2- 4ª Mostra de cinema LGBT de Nova Iguaçu
3- Diretoria do grupo 28 de junho
4- Participação do grupo 28de junho na III Semana da Baixada. Na UFRRJ


Sua presença é muito importante!!

Contato
93628785 CLARO
988093507 OI

Piñeros Laverde,é transexual e foi nomeada Secretária de Turismo de Bogotá.

Prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, declarou que Piñeros Laverde foi nomeada por suas qualidades políticas, e não por ser transexual.













Por Redação
O prefeito de Bogotá, Gustavo Petro (Partido Progressista), nomeou, na última quinta-feira (3), a ativista transexual Tatiana Piñeros Laverde como diretora do Instituto de Turismo (IDT). Essa é a primeira vez que uma mulher transexual assume uma entidade pública na Colômbia.
Apesar do fator da transexualidade de Piñero Laverde ter sido muito comentado, o prefeito de Bogotá declarou que ele não foi decisivo na nomeação, mas sim o “preparo, a qualificação política e a experiência em administração”.
“Trabalhar em ambos os setores público e privado permitiu-me reconhecer e identificar todo o processo administrativo adequado do serviço civil. Ser uma mulher transexual não deve pôr de lado as minhas qualidades profissionais e pessoais”, declarou Tatiana Piñero Laverde.
A gestão de Gustavo Petro na cidade de Bogotá é reconhecida pelas iniciativas em torno das questões LGBT, entre elas, a criação de casas de proteção e os Conselhos Consultivos LGBT. Considerado progressista, Petro retomou o cargo de prefeito recentemente, depois de uma polêmica cassação que envolveu disputa política com setores conservadores da Colômbia.
Foto de capa: El Universal